Arquivo da categoria: Crônicas do cotidiano

Números saltitantes

Adolescência é uma fase curiosa da vida. Se por um lado a explosão de hormônios impulsa o jovem na direção dos até então desconhecidos prazeres do mundo, por outro há uma contra-força que repele esse movimento, uma vã tentativa dos … Continuar lendo

Publicado em Crônicas do cotidiano | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Pelada de craques

Quem é tricolor vai se lembrar. Depois de dois rebaixamentos sucessivos, o Fluminense – um dos quatro grandes do futebol carioca – caíra para a Segunda Divisão do Brasileiro. Como desgraça pouca é bobagem, ao rebaixamento da Série A seguiu-se … Continuar lendo

Publicado em Crônicas do cotidiano | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Fecha na Prochaska

Quem é mais velho deve se lembrar. No começo dos anos 80, a Ditadura Militar vivia seus estertores. O país quebrara de fato em 1982 e de direito em 1984. O General Figueiredo já estava mais preocupado com seus cavalos … Continuar lendo

Publicado em Crônicas do cotidiano | Marcado com , , , | Deixe um comentário

O bêbado e o político

O amor é uma faca de dois legumes, como diz o matuto. Se por um lado é capaz de arrebatar e transformar o mais insensível dos corações numa alma apaixonada, por outro é capaz de devastar a dignidade e lançar … Continuar lendo

Publicado em Crônicas do cotidiano | Marcado com , , , | Deixe um comentário

O padre e o governador

Casamento é um negócio engraçado. Nascido como sacramento na Igreja, de há muito deixou de ser algo relacionado com o divino, mas antes uma das mais caras formas de interação social. Ninguém se preocupa mais com os votos, mas sim … Continuar lendo

Publicado em Crônicas do cotidiano | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Engenheiro de produção x Operário da linha de produção

A história é clássica. Uma determinada empresa de produtos higiênicos via-se às voltas com um problema aparentemente insolúvel. Na sua linha de dentifrícios, algumas embalagens estavam vindo sem o tubo com a pasta de dente. Ao chegarem no supermercado, o … Continuar lendo

Publicado em Crônicas do cotidiano | Marcado com , , , | Deixe um comentário

A sinceridade infantil

Amanda era uma menina muito esperta. Precoce desde sempre, aos 4 meses engatinhava, aos 9 já andava e com 1 ano falava mais do que a mulher da cobra. Aos 2 anos, a menina já engatava conversações complexas e respondia … Continuar lendo

Publicado em Crônicas do cotidiano | Marcado com , , , | Deixe um comentário