Hamlet e as vãs citações de quem não leu Shakespeare

9 em cada dez citações de Shakespeare vêm de Hamlet: “Something is rotten in the state of Denmark”, “”There is nothing either good or bad, but thinking makes it so”, e, é claro, “To be or not to be, that is the question”.

Na maior parte dos casos, por questões de eufonia e mesmo estilísticas, as traduções não foram feitas literalmente. Em regra, as traduções não alteraram o sentido original da frase. Por exemplo: Something is rotten in the state of Denmark normalmente é traduzido como Há algo de podre no reino da Dinamarca. Do mesmo modo, There is nothing either good or bad, but thinking makes it so geralmente traduz-se como Nada é bom ou mau em si; depende do julgamento que fizermos

Até aí, tudo bem. O problema está com Há mais coisas entre o céu e a terra do que supõe a sua vã filosofia. Essa frase é produto de um pastiche. Trata-se de uma deturpação do texto original.

Na seqüência da peça, essa frase acontece quando Hamlet, após ter com o fantasma do pai, tenta esconder de Horácio e Marcelo o que efetivamente se passou. Depois de muito insistirem, Horácio e Marcelo conseguem que Hamlet diga o que aconteceu. Mas ele impõe uma condição: nunca revelarem a ninguém o que ali se passou.

Enquanto Hamlet propõe o juramento, o fantasma do pai os rodeia e assombra, urrando: “Swear!” (Jurem!)

Aturdido, Horácio exclama:

O day and night, but this is wondrous strange! (Ó dia e noite, mas isso é formidavelmente estranho!)

Ao que Hamlet replica:

And therefore as a stranger give it welcome. (E, portanto, sendo estranho, dê-lhe as boas-vindas)

E conclui:

There are more things in heaven and earth, Horatio,
Than are dreamt of in your philosophy. (Há mais coisas no céu e terra, Horácio, do que foram sonhadas na sua filosofia).

Hamlet – na verdade, Shakespeare – faz isso por ironia. Horácio é um estudante. Representa a racionalidade. Hamlet representa algo mais passional. Mais especificamente, o conflito entre cumprir ou não a promessa de vingar seu pai matando seu tio.

Mas em nenhum momento Hamlet classifica a filosofia ou a racionalidade como vãs e fúteis. Seu propósito é outro: mostrar que, embora a filosofia e a racionalidade sejam essenciais para o ser humano, elas não respondem a tudo. Há mais no mundo; coisas que a razão não consegue explicar. Por isso é temerário legar todas as soluções da existência ao nosso limitado cérebro.

Portanto, não deixe que a vã tradução continue a propagar por aí.

Anúncios
Esse post foi publicado em Artes, Dicas de português. Bookmark o link permanente.

20 respostas para Hamlet e as vãs citações de quem não leu Shakespeare

  1. Ana disse:

    Post muito bom.

  2. Nilma Pessoa disse:

    medíocres adoram generalizar com apelos para ignorância, pois os põe no mesmo nível de verdadeiros gênios humanos

    não foi assim que sumarizaram Sócrates: “só sei que nada sei”? tira-se fora o contexto de sua defesa e inventa-se uma frase popularista e de apelo humilde… pronto, somos todos iguais aos maiores gênios em ignorância

    • arthurmaximus disse:

      Perfeita a observação, Nilma. No fundo, é mais ou menos isso mesmo. Citam-se frases a esmo, sem saber o contexto em que foram proferidas nem o significado exato que pretendia seu autor. O caso de Sócrates também é emblemático. Com isso, ficamos todos “igualados” na ignorância. Abraços.

    • Glauco disse:

      Cara Nilma, sua afirmação me parece uma generalização …rsrs Me parece ser natural que citações que tornam se clichês, informalmente sejam adaptadas à contextos individuais, até porquê não se pode exigir profundidade filosófica em frases e citações descontextualizadas.E novamente, sua conclusão também me parece uma generalização…Muitas generalizaçãos em uma pequena observação de uma pessoa acima da mediocridade…rsrsr

  3. Telma Silva disse:

    Telma

    Estava procurando o verdadeiro sentido pra essa frase, para mim foi muito esclarecedor.

  4. Eu sofro ao escutar tão vã (e distorcida) citação e sofro mais ainda ao tentar dizer que ela está errada.

  5. Excelente diálogo! Além, é claro, da ótima explicação no alto da página. Geralmente, e até por oportunismo, citamos adágios ou frases consagradas com o objetivo de “ficar bem na fita”, em circunstâncias onde o que menos conta é a verdade histórica… Minha mão à palmatória!

  6. gabriela disse:

    Shakspear pode ter pensado em outra coisa, mas a frase se encaixa perfeito na teoria do paradigma da modernidade de boa ventura de souza santos. E machado de assis usa ela também na cartomante com sentido de que não sabemos tudo apenas pela razão ❤

  7. Glauco disse:

    Caro Arthur Com todo o respeito ao seu texto, mas realmente não me recordo de situação onde alguém que tenha citado a referida frase de Hamlet, com sentido diferente de sua explanação.

  8. Fantástico! Obrigado pelos ensinamentos e reflexões que tive. Isso foi muito mais que uma aula. Foi “Máximo”!!!

    ——————
    “Há mais coisas entre o Céu e a Terra do que o pensamento e o sentimento do homem possa imaginar.” (Shakepeare apud Hamlet, tradução e adaptação minha).
    ——————

  9. Rodrigo Tiago da Silva disse:

    Apesar de achar que a maioria das pessoas não entendem o quão é importante este entendimento, achei muito bom, excelente! Eu sempre fiquei com “a pulga trás da orelha” com esta frase, como a filosofia pode ser vã, por mais que não seja perfeita?

  10. eliasclira disse:

    Ninguém entendeu o Shakespeare, apud Hamlet (nem o Machado de Assis), só você, ôh sábio…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s