Missão: Marte

Aprontando as malas para viajar, o sujeito ouve o celular. Do outro lado da linha, a atendente de telemarketing tenta empurrar mais uma daquelas “ofertas sensacionais”.

– Alô, boa noite?

– Boa noite, responde o sujeito com certo ar de enfado.

– Falo com o senhor Fulano?

– Sim, é ele. Pois não?

– O motivo do meu contato hoje é para estar oferecendo o mais novo lançamento de cartão de crédito na praça. Com esse cartão, o senhor tem acesso a crédito pré-aprovado, pode parcelar suas compras, utilizar nosso crédito rotativo a taxas imbatíveis e ainda acumular pontos para trocar por produtos ou viagens aéreas.

– Me desculpe, mas não estou interessado, informa o cidadão.

Sem ligar para a informação que o sujeito lhe passara, a atendente continua rodando o programa padrão.

– Mas com esse cartão o senhor vai poder estar usando toda a nossa gama de produtos, tem descontos em lojas, shoppings, cinemas. E o melhor de tudo: o senhor não vai pagar mais nada por isso! Como o senhor tem um bom relacionamento com o mercado, esse cartão está sendo oferecido EX-CLU-SI-VA-MEN-TE para o senhor sem qualquer anuidade. Para sempre!

– Mesmo assim, eu não estou interessado, reafirma a figura.

A atendente passa para o plano B: contestar os motivos do cidadão.

– Eu posso perguntar por quê?

– Eu vou viajar, diz o sujeito.

– Mas esse cartão pode ser usado em todo o país, senhor, insiste a atendente.

– Eu não vou ficar no país, minha cara, rebate o cidadão.

– Não tem problema, senhor. Esse cartão é internacional. E mais: nas suas viagens internacionais, o senhor ainda vai contar com assistência de viagem, concierge, seguro contra acidentes pessoais e seguro de automóvel. São muitas facilidades que o seu novo cartão oferece.

– Para onde eu vou eu não vou precisar desse cartão de crédito, explica o cidadão.

– Mas esse cartão é aceito em mais de 100.000 estabelecimentos em todo o mundo, com descontos exclusivos e atendimento preferencial. O senhor pode usá-lo nos Estados Unidos, na Europa e até no Japão!

– É, mas eu não vou para nenhum desses lugares, tenta encerrar o pobre incauto.

– Posso então perguntar para onde o senhor vai?

– Eu fui selecionado pela Nasa para participar de uma missão para colonizar Marte.

– Obrigado pela sua atenção. Boa noite…

Anúncios
Esse post foi publicado em Crônicas do cotidiano e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s