Pra desopilar: Churchill, o humorista

Nem só de gente carrancuda se faz a História.

Winston Churchill foi, sem dúvida, uma das maiores figuras de todos os tempos.

Mas Churchill não era só um político genial e um orador incomparável. Era também um sujeito extremamente bem humorado.

Rápido no raciocínio, cáustico nas respostas, era um interlocutor temido.

Certa vez, no seu aniversário de 80 anos, um fotógrafo com menos de 30 aproximou-se e disse:

“Sir Churchill, espero estar aqui novamente para fotografá-lo nos seus 90 anos”.

Churchill respondeu:

“E por que não, meu jovem? Você me parece bastante saudável”.

Em outra ocasião, George Bernard Shaw, um dos maiores dramaturgos e escritores ingleses de todos os tempos,   resolveu convidá-lo para a estréia de uma peça sua. Como era daqueles que perdia o amigo, mas não perdia a piada, Shaw mandou-lhe um bilhete com os dizeres:

“Tenho o prazer e a honra de convidar Sua Excelência, o Primeiro-ministro, para a primeira apresentação da minha peça Pigmaleão. Venha e traga um amigo, se tiver”.

Churchill enviou-lhe um telegrama em seguida:

“Agradeço ao ilustre escritor o honroso convite. Infelizmente, não poderei comparecer à primeira apresentação de sua peça. Mas prometo que irei à segunda, se houver”.

Em outra oportunidade, durante uma sessão do parlamento, a primeira mulher eleita para a Câmara dos Comuns, Nancy Astor. Apesar de amigos, Nancy Astor alterou-se durante uma discussão. Aos berros, afirmou:

“Se Sua Excelência fosse meu marido, eu colocaria veneno no seu café”.

Ao que Churchill respondeu:

“Pois se eu fosse marido de Vossa Excelência, eu tomaria o café”.

Agora, a melhor de todas.

Bernard Montgomery foi um dos comandantes das forças aliadas na II Guerra Mundial. Fez fama por bater Erwin Rommel, a Raposa do Deserto, na batalha pelo Norte da África. Mas – dizem as más línguas – não era assim tão bom quanto diziam. Além disso, era um certinho à toda prova, caxias mesmo. Ainda assim, Monty ficou se achando após o fim da guerra.

Certo dia, durante uma celebração qualquer, Monty foi discursar sobre sua experiência na guerra. Disse ele:

“Eu não fumo, não bebo e não prevarico. Por isso, sou herói de guerra”.

Na platéia, Churchill emendou para um colega que estava ao seu lado:

“Já eu fumo, bebo e prevarico. Por isso, sou chefe dele”.

Esse post foi publicado em Pra desopilar. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Pra desopilar: Churchill, o humorista

  1. Pingback: CHURCHILL, O HUMORISTA | TOK de HISTÓRIA

  2. ele ela um grane ser humano,. os nazistas o difamam usando o nazista david irving que nega ao holocausto judeu. Ele inventou muitas difamações contra Sir Churchill

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.