A música do século

De quando em vez, alguma revista de música resolve montar um “ranking” com as melhores músicas do século XX. Tem ranking pra todo gosto: já vi escolherem Sargent Pepper´s, dos Beatles, Yesterday, também dos Beatles, Satisfaction, dos Rolling Stones e até mesmo A white shader of pale, música regravada pela Annie Lennox

Nem Beatles, nem Rolling Stones, nem muito menos Annie Lennox. Podem falar o que quiserem, mas a música do século é do Pink Floyd: Wish you were here.

Na minha opinião, nenhuma outra música consegue ser tão bela na expressão do sentimento, seja na parte orquestral, seja na letra.

A música começa suave, um violão ao fundo. Acordes secos, até parece que você consegue ver o David Gilmour tocando. Depois, começam a surgir os acordes da guitarra e do baixo, como se o instrumentos estivessem “falando” entre si. A bateria surge depois, mas só pra compor o cenário: são o vocal e os instrumentos de corda que “fazem” a música.

Simples nos acordes, profunda no vocal, é a letra que toca fundo na alma. Fala-se da saudade, da dor permanente que a saudade causa na pessoa. E, ao mesmo tempo em que dói, o sentimento daquilo que faz boa a lembrança reconforta quem sente a saudade.  É como se a dor que se sente se alimentasse da felicidade que passou, e vice-versa. Algo esquizofrênico, assim como o sujeito pra quem a música foi feita.

Wish you were here foi escrita em homenagem a Sid Barret, primeiro líder do Pink Floyd. Esquizofrêncio, Sid Barret deixou a banda e internou-se numa clínica psiquiátrica, de onde só sairia morto, alguns anos atrás. David Gilmour entrou no lugar dele, o que, no final das contas, acabou sendo bom para a banda, pois o cara era realmente um gênio.

De certo modo, Roger Waters não conseguia esquecer Sid Barret. Acho que ele sentia algo do tipo: “Putz, como teria sido a banda se ele tivesse continuado?” Um sentimento de frustração constante, que acabaria por envenenar sua relação com David Gilmour. Com o tempo, isso resultaria no fim da formação do Pink Floyd com ambos, no começo dos anos 80.

Na letra, as alusões a Sid são diretas:

Did you exchange a walk on part in the war

(Você trocou um papel de figurante na guerra)

For a led role, in a cage?

(Por um papel principal na cadeia?)

Mas é no final que a música emociona:

How I wish, how I wish you were here

(Como eu queria, como eu queria que você estivesse aqui)

We´re just two lost souls swimming in a fish bowl, year after year

(Nós éramos apenas duas almas perdidas nadando num aquário, ano após ano)

Running over the same old ground.

(Correndo sobre o mesmo velho chão.)

And what we´ve found? The same old fears…

(E o que nós encontramos? Os mesmos velhos medos…)

Wish you were here

(Queria que você estivesse aqui)

O papo tá bom, mas não vou continuar privando-os da música. Nada do que eu escreva conseguirá superá-la. Abaixo, o vídeo com a letra legendada:

Esse post foi publicado em Música. Bookmark o link permanente.

3 respostas para A música do século

  1. Amaral disse:

    Arthur vc não foi!!!
    Meu camarada, meus parabéns pela data de ontem. Que o Senhor nosso Deus encha o teu caminho com suas maravilhosas bençãos. O que desejar mais? Bom, de minha parte, te desejo muita paz, saúde e um coração humilde. Estenda esse voto aos teus e, é claro, à Ana O. Parabéns, feliz 18/03/2011.
    Quanto à canção, bem…o que dizer depois das tuas palavras. Um abç.

  2. Pingback: As 10 melhores músicas internacionais de todos os tempos | Dando a cara a tapa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.