O Teatro alla Scala

Todo mundo que gosta de música clássica, ópera ou balé, vez por outra pensa em conhecer pessoalmente as mais famosas casas do planeta. O Teatro Colón, em Buenos Aires, a Opera Garnier, em Paris, a sede da Filarmônica de Berlin, na capital alemã… a lista é imensa. Mas se há um lugar que é figurinha carimbada em qualquer lista do gênero, este lugar é o Teatro alla Scala, ou, como é popularmente conhecido, o Scala de Milão.

Teatro alla Scala

Localizado na ultrachique e grã-fina Milão, o Teatro alla Scala é um monumento à arte e à paixão italianas pela ópera e pela música clássica.

Mandado erguer por Maria Teresa da Áustria (depois de casar com Francisco I, tornara-se senhora, entre outras coisas, do norte da Itália), arquitetonicamente o edifício é irrelevante. Sua estrutura neoclássica é sóbria e elegante, mas não chega a emocionar. Não chega sequer a se destacar na paisagem, sendo até certo ponto um prédio acanhado perto da grandiosidade das construções existentes na capital da Lombárdia. Quem sai, por exemplo, da Galleria Vittorio Emanuele, fica um pouco decepcionado com o que vê.

Por dentro, o Scala também não impressiona pelo conforto. A sala é um bocadinho pequena, e as poltronas frontais da platéia não chegam a exatamente conferir o maior conforto do mundo aos espectadores. Tampouco os camarotes são lá grande coisa. Há espaço para seis pessoas enfileiradas em seqüência 2 a 2. No entanto, as cadeiras não tem encosto e as pessoas da primeira fileira devem virar o corpo uma para a outra, pois os assentos são posicionados lateralmente ao palco. Uma coisa boa que há, porém, são pequenos mostradores digitais que perpassam o texto da apresentação, com três opções de línguas (inglês, francês e italiano), permitindo o acompanhamento da obra sem necessidade de se recorrer ao velho e bom “programinha”.

Mas o Scala não se fez sinônimo de arte pela arquitetura, mas pela qualidade das apresentações e dos artistas que lá compareceram. Principalmente depois de Rossini, o Scala tornou-se o centro irradiador da cultura italiana. E isso em um país que é praticamente o berço da ópera não é pouca coisa.

Com o tempo, Verdi, Puccini e outros compositores italianos levaram todas as suas obras ao Scala. É como se a criação artística precisasse do “selo” de uma apresentação no teatro milanês para provar que existia.

Feita a fama, compositores igualmente talentosos de outras nações começaram a acorrer ao Scala. Wagner, Strauss e Stravinski, por exemplo, apresentaram algumas de suas melhores produções por lá. No século XX, von Karajan e, principalmente, Arturo Toscanini mantiveram o alto nível das apresentações de música clássica. Isso, é claro, sem falar em divas como Maria Callas e tenores de incomparável sucesso, como Pavarotti, que não deixaram a peteca cair no quesito ópera.

Hoje, o Scala mantém-se como uma das principais casas de espetáculo do mundo. Mantém inclusive a fleuma de outros tempos, obrigando os homens a trajar terno e gravata e as mulheres a vestirem trajes longos. Por isso, assistir a uma apresentação lá continua sendo uma experiência inigualável.

Para quem for à capital lombarda, convém antes conferir a programação e comprar com antecedência os ingressos. Os tickets podem ser comprados online, no site do teatro. Se você deixar pra última hora, certamente vai ficar sem ingresso.

E perderá a chance de conhecer um dos maiores monumentos já erguidos em amor à arte.

Esse post foi publicado em Arquitetura, Dicas de viagem e marcado , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para O Teatro alla Scala

  1. Pingback: Milão: história e arte na segunda maior cidade da Itália – história, viagens e livros

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.