Cidades do mundo – Londres

“Juntei dinheiro. Tirei férias do emprego. Quero viajar pro exterior. E agora, pra onde vou?”

Bom, se é pra conhecer coisas novas, não titubeie: Londres é o seu destino.

Alguém disse uma vez que quem está cansado de Londres, está cansado da vida.

Tem toda a razão. Não há nada igual a Londres no mundo inteiro. Não pelos prédios ou pela arquitetura (Paris é mais bonita). Não pelo sol, que sempre é tímido. Não pela chuva freqüente, fraquinha, chata mesmo (em Paris chove mais, acredite). Não pelos preços; é uma das cidades mais caras do mundo, mas há coisa pior (Copenhagen, por exemplo).

O que é, então, que faz de Londres uma cidade tão especial?

A verdade é: eu não sei. Talvez algo no ar. Há uma certa inquietude que, ao respirar, move-o em direção à curiosidade. Você simplesmente sente que ali tudo é diferente. Você fica com vontade de engolir a cidade, de uma só vez, sem mastigar, sem refrigerante, sem sobremesa.

Em nenhum outro lugar do mundo você encontrará pessoas dispostas a te ajudar a se localizar, mesmo que você não fale palavra de inglês. Tentarão te ajudar nem que seja no gestual, sempre com um sorriso no rosto. E – ao contrário de Paris – mesmo nos lugares apinhados de turistas as pessoas são extremamente simpáticas e educadas; não saem distribuindo patadas a torto e a direito.

Em nenhum outro lugar do mundo Bentley´s e Rolls Royce´s andam pelas ruas assim, distraidamente, de forma natural, como . Você encontra Jaguares andando por aí com a mesma freqüência com que você encontra Corollas em qualquer capital brasileira.

Tudo bem. Londres não tem o Louvre nem o D´Orsay. Mas o que dizer da National Gallery, um dos melhores acervos de pintura do mundo, com figuras como Michelangelo, Rubens, Van Gogh, todos reunidos no mesmo prédio?

Não gosta de pinturas clássicas? Que tal um pouco de História Natural? Se você tem filhos, não há lugar melhor para ir do que o Natural History Museum, um dos mais interativos e inventivos museus do mundo:

Na mesma linha de interatividade, mas relacionada às guerras do mundo, está o Imperial War Museum. Se você curte história das guerras, especialmente a I e a II Guerras Mundiais, não deixe de conhecer esse:

Um detalhe importante: todos – eu disse TODOS – os museus da cidade são de graça. Sim, isso mesmo. Tudo no preço. Coisas de Londres.

Ok, mas vamos ao que interessa: como aproveitar a cidade.

Primeiro: esqueça o carro. Ande de metrô, um dos melhores do mundo. Em termos de facilidade de deslocamento não consegue bater Paris (onde há uma estação quase em toda esquina), mas é mais chique, se isso vale alguma coisa.

Segundo: vá com grana. Incrível, mas por mais que você tenha uma quantidade razoável de dinheiro, sempre você vai se achar mais pobre do que é em Londres (se você for filho do Eike Batista, isso não se aplica).

Terceiro: cuidado com a comida. Se você não é fã de comida indiana ou tailandesa, prefira os fast foods mesmos. Os restaurantes ingleses não são especialmente bons na comida, mas são especialmente salgados no preço. Uma dica de um bom restaurante a um preço reeelllaaativamente razoável é o O Sole Mio (35 Belgrave Road). Comida italiana de primeiríssima.

Quanto aos roteiros, a coisa complica. Há muita coisa pra ver em Londres. Vou montar um pequeno roteiro para cinco dias, mas o mais importante é o seguinte: decida o que quer conhecer e depois organize os passeios de modo a que você não faça muito deslocamento entre as atrações. Organize duas ou três perto umas da outra e pronto.

Primeiro dia: chegando antes do meio-dia, descanse, almoce bem, e vá direto a Westminster. Lá você pode dar uma volta no London Eye (roda gigante, com uma bela vista da cidade), tirar umas fotos do Parlamento, da Abadia de Westminster, andar mais um pouquinho pra ver a entrada da Downning Street (onde fica a casa do Primeiro-ministro), passar em frente ao Whitehall e, se sobrar tempo, visitar alguma exposição no County Hall. Terminando o dia, à noite vá pra Picadilly Circus, ver o centro da cidade bombando à noite.

Segundo dia: acorde cedo e vá ver a troca de guarda no Palácio de Buckingham. Tire as fotinhas de lei, e depois vá pra fila comprar o ingresso pra visitar o Palácio. Se tiver vontade, você pode comprar o passe que, além da visita ao Palácio, inclui entradas pra Galeria da Rainha e pro Royal Mews (ver os famosos cavalos da rainha, as carruagens e os carros de Her Majesty – mas isso levará o dia inteiro). Terminada a visita ao Palácio, vá descansar um pouco no Saint James´s Park, ver os patos e tomar um sorvete, se o clima ajudar. De lá, caminhe mais um pouquinho até o House of Guards, que é de onde saem os bonequinhos que participam da troca de guarda. Ao lado, está o Churchill´s Museum e o Cabinet War Rooms. É um dos melhores museus de lá. Está montado do jeito que Churchill deixou quando a guerra terminou em 45. À noite, dê uma passadinha na Oxford Street e faça umas comprinhas, porque ninguém é de ferro.

Terceiro dia: Dia de museu, pra quem gosta. De manhã, vá ao Imperial War Museum. Almoce por lá mesmo (há um bom refeitório lá). De lá, siga para a National Gallery, que fica na Trafalgar Square. Perca uma tarde lá. Se ainda assim conseguir ter tempo, vá na National Portrait Gallery, que fica ao lado, onde há uma enorme coleção de pinturas de pessoas retratadas. À noite, dê um pulo no point da cidade: Covent Garden.

Quarto dia: Mais museu. De manhã, siga para o Museu Britânico, onde há, por exemplo, a Pedra da Roseta e as artes decorativas do Pathernon de Atenas. À tarde, siga para a City. Tire umas fotinhas na Catedral de Saint Paul, da Milleniunm Brigde e siga direto pra Torre de Londres, onde estão, entre outras coisas, as jóias da rainha. À noite, vá assistir a uma apresentação no Shakespeare Globe, uma recriação do teatro onde Shakespeare exibia suas peças há 4 séculos.

Quinto dia: bom, aí você escolhe. Se você gostar de arte moderna, pode ir ao Tate Modern ou ao Tate London. Pode ir também ao Victoria & Albert Museum. Há também a Courtauld Gallery, uma pequenininha mas muito boa coleção particular de arte. Mas essa é só para iniciados. Se quiser, também por ir dar uma voltinha no Hyde Park e esticar até Notting Hill, só pra poder dizer depois, quando estiver assistindo ao filme: “Eu estive lá!”

Esse é apenas um panorama básico da cidade. Mas Londres não cabe num único post. É o que você vai entender quando conhecê-la.

Esse post foi publicado em Dicas de viagem. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Cidades do mundo – Londres

  1. Kellyne disse:

    Outra dica é tirar uma graninha do bolso e separar uma noite para assistir a um dos inúmeros musicais. O Fantasma da Ópera eu recomendo, é maravilhoso! Bjos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.