O mistério da expansão do universo

Um dos enigmas a atormentar a cabeça dos cientistas é o modo como o universo está se expandindo.

Pela hipótese mais aceita hoje em dia, tudo começou com uma explosão de uma sopa primordial de elementos, à qual se deu o nome de Teoria do Big Bang. Desde então, o universo estaria em processo de contínua expansão, com a matéria – inclusive e especialmente a que forma as galáxias – se afastando do ponto inicial de explosão.

Imagine um balão de encher ainda murcho. Você pega um pincel e pinta alguns pontinhos pretos nele. Depois, começa a soprar. O que acontece? O balão começa a inchar e os pontinhos vão se afastando cada vez mais uns dos outros.

Com o universo, acontece a mesma coisa. Desde o Big Bang o balão encontra-se em contínuo processo de inflagem, com as galáxias afastando-se cada vez mais umas das outras.

Até aí tudo bem.

A porca começa a entortar o rabo é na velocidade com que as  galáxias estão se afastando. Segundo os modelos de universo mais compatíveis com as teorias existentes – especialmente a da Relatividade – a velocidade de distanciamento deveria atingir um pico e depois começar a cair lentamente, por conta da força da atração gravitacional entre os corpos estelares (estrelas, planetas, supernovas, etc.). Na pior das hipóteses, deveria se manter constante, ou seja, atingir um certo limite e depois nem aumentar nem diminuir.

Mal comparando, os cientistas imaginavam que se passaria com o universo o mesmo que se passa quando um atleta arremessa um dardo nas Olimpíadas. Na primeira parte da parábola, o dardo acelera-se, porque impulsionado pelo atleta, até alcançar seu pico de velocidade. A partir de determinado momento, por conta da gravidade e da resistência do ar, o dardo começa a perder velocidade até cair.

Com o universo, seria a mesma coisa. Depois do impulso inicial do Big Bang, ele se expandiria com determinada velocidade até determinado ponto. Depois disso, por conta da força gravitacional – já que no universo não há resistência do ar – ele deveria diminuir seu ritmo de expansão ou, no mínimo, mantê-lo.

Não é isso que acontece. Ao contrário do suposto, o universo segue em contínua aceleração. Quer dizer: as galáxias estão se afastando umas das outras com uma velocidade cada vez maior. Em vez de diminuir, o ritmo de expansão está aumentando. O que conduz ao seguinte problema: o que está fazendo com que o universo aumente seu ritmo de expansão?

Boa parte da comunidade científica atribui a solução para esse enigma à chamada energia escura, um tipo igualmente misterioso de energia que exerceria uma força contrária (negativa) à da gravidade, impelindo o universo a se expandir numa velocidade cada vez maior. A energia escura explicaria esse mistério e se enquadraria perfeitamente nas teorias mais aceitas sobre o universo.

O problema é que ninguém ainda conseguiu provar em definitivo a existência da energia escura, muito menos observá-la.

O universo, portanto, contempla até o momento apenas um ser a entendê-lo completamente: Deus.

Esse post foi publicado em Ciências e marcado , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para O mistério da expansão do universo

  1. mailton nascimento disse:

    que Deus extraordinário o senhor do universo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.